segunda-feira, 3 de setembro de 2012

FHC dá início a campanha de 2014

"
"Eu sou o príncipe dos sociólogos. Eu penso logo existo ou será eu existo logo penso? Ah! sei lá, o que importa é que falei bonito"
Com o episódio do mensalão no STF, FHC pega carona e inicia a campanha presidencial de 2014 com um texto no Estadão afirmando que Lula deixou um legado maldito para a presidenta Dilma. Acho que nem sua turma de Higienópolis acredita nisso, mas de resto isto só lhe revela um espírito ressentido e invejoso que dispensa explicações desse humilde blogueiro. É só comparar os governos de FHC e o de Lula.
Mas é claro que sendo o que é frente ao Estadismo de Lula a agora o de Dilma, ele sente-se na obrigação de ofuscar a herança bendita deixada por Lula e já tenta lançar alguma candidatura para o pleito presidencial de 2014 escrevendo seus artigos vindo de sua mente delirante publicados no PIG para ver se tem algum resultado concreto na opinão pública.
Só faltou dizer o nome em 2014 que poderia levar o Brasil para uma era "bendita". Será que é o Alckimin? O que será que o Aécio deve estar pensando depois que leu esse texto do Estadão? Eu acho que ele deve estar se perguntando se ele vai ser convidado pela turma de Higienópolis para atuar na era "bendita".
Com o Serra fora do tabuleiro, só resta o Aécio e o Alckimin. E é bom que o Aécio dê um tempo nas  baladas e tente parecer sério, pois tá tudo devidamente filmado e guardado na pasta do Alckimin. Aécio & Alckimin, é o que de "melhor" o PSDB tem a oferecer.

Clique aqui para ler o que FHC escreveu sobre o legado de Lula. 

E abaixo o nota oficial de presidenta Dilma em resposta ao texto de FHC.


“Nota Oficial
Citada de modo incorreto pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, em artigo publicado neste domingo, nos jornais O Globo e O Estado de S. Paulo, creio ser necessário recolocar os fatos em seus devidos lugares.
Recebi do ex-presidente Lula uma herança bendita. Não recebi um país sob intervenção do FMI ou sob a ameaça de apagão.
Recebi uma economia sólida, com crescimento robusto, inflação sob controle, investimentos consistentes em infraestrutura e reservas cambiais recordes.
Recebi um país mais justo e menos desigual, com 40 milhões de pessoas ascendendo à classe média, pleno emprego e oportunidade de acesso à universidade a centenas de milhares de estudantes.
Recebi um Brasil mais respeitado lá fora graças às posições firmes do ex-presidente Lula no cenário internacional. Um democrata que não caiu na tentação de uma mudança constitucional que o beneficiasse. O ex-presidente Lula é um exemplo de estadista.
Não reconhecer os avanços que o país obteve nos últimos dez anos é uma tentativa menor de reescrever a história. O passado deve nos servir de contraponto, de lição, de visão crítica, não de ressentimento. Aprendi com os erros e, principalmente, com os acertos de todas as administrações que me antecederam. Mas governo com os olhos no futuro.
Dilma Rousseff
Presidenta da República Federativa do Brasil

Um comentário:

Lucas direto disse...

Sem risco de apagões??? E o apagão no nordeste. Coisa horrível! Herança bendita, santa, bem-aventurada, formidável. [ironia minha]